Por Letícia Costa

Employer Branding é uma tendência fortíssima no campo do RH. É uma estratégia que cresce a cada dia na disputa pela conquista de talentos no mercado de trabalho. Sua empresa já desenvolveu essa estratégia? Você sabe o que é Employer Branding? É disso que vamos falar neste blog. 

A tradução literal desse termo pro português é “marca empregadora”. E o que isso significa? É um processo de marketing para a empresa desenvolver uma imagem, uma reputação de boa empregadora no mercado. Para tornar a empresa mais atrativa para o mercado de talentos alvo. Ou seja, Employer Branding é uma maneira da empresa ganhar vantagem competitiva, se diferenciar no mercado de trabalho e atrair mais colaboradores e mais talentos. Uma marca forte ajuda a empresa a atrair os melhores talentos do mercado de trabalho. 

Foi-se o tempo em que os esforços das empresas de construir uma marca se concentrava no mercado consumidor e em vendas. Hoje o esforço se estende cada vez mais pro mercado de talentos. 

A disputa pela conquista de talentos é grande e, daí,  a necessidade de aumentar o poder de atração. E essa é uma preocupação que vem crescendo muito nas organizações. Nesse cenário, surge o conceito de Employer Branding. 

É um projeto que envolve a organização como um todo e precisa de uma união estratégica entre marketing e RH para construção da marca de boa empregadora. Demanda métodos e técnicas de marketing semelhantes às estratégias de fortalecimento da marca para o mercado. O conceito de trabalhar a marca é o mesmo. 

Por outro lado, Employer Branding não pode ser uma imagem de fachada. Você não constrói só com publicidade e propaganda. Se for assim, ela não se sustenta.

O que uma empresa mostra para o mundo, deve ser exatamente o que vive no dia-a-dia. Logo, as ações de marketing e de gestão de pessoas devem estar sempre muito bem alinhadas e se complementarem estrategicamente.

Mas por quê? 

Porque os colaboradores se relacionam e se comunicam fora da empresa. E com os avanços da tecnologia, os relacionamentos se multiplicam pelas redes sociais. O alcance da comunicação cresce exponencialmente. Na internet, as pessoas também levam a imagem da empresa adiante.

Alguns sites também registram a qualidade de “empregar” das empresas. Por exemplo, na Glassdor (antiga Love Mondays), você consegue ver as qualificações de cada empresa para cargos e salários e ambiente de trabalho. 

Por isso, a marca empregadora precisa estar refletida na cultura, nos valores e princípios, nas políticas da empresa. Deve existir uma real proposta de valor que seja percebida pelos ex-colaboradores, pelos atuais e também pelos futuros. 

Essa reputação tem tudo a ver com o pacote de valor que a empresa oferece aos colaboradores. Nesse caso, falamos de Employer Value Proposition (que falaremos em um próximo post), que são pacotes de valores que são capazes de atrair a atenção de profissionais no mercado de trabalho. 

Essa construção não acontece da noite pro dia. O processo envolve um conjunto de ações que gerarão resultados a longo prazo. É preciso desenvolver uma cultura que permeia todas as áreas da empresa e todos os colaboradores, o desenvolvimento dos líderes, dentre tantas outras coisas. 

Pensando no Employer Branding, a Glaciano é nomeada Great Place to Work.

Que tal construir esse valor para a sua empresa? Nós temos a estratégia certa para você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *